CRIANÇAS E ANIMAIS: CONVIVÊNCIA FUNDAMENTAL

As crianças preferem animais a brinquedos! Essa constatação foi feita a partir de um estudo conduzido pelas universidades americanas de Virginia e de Rutgers, que revelou que, sempre que podem escolher, as crianças largam qualquer brinquedo em troca do contato com um animal. O estudo mostrou que até as crianças com menos de um ano apresentam essa predileção pelo animal, mesmo quando se trata de uma aranha ou cobra dentro de um aquário.

O Mopi acredita que o contato das crianças e dos jovens com a natureza é fundamental para a sua formação integral. “Os animais estimulam a curiosidade e a atenção das crianças, as levam a pensar, a expressar emoções, a interagir…”, explica Vinícius Canedo, diretor da escola.

“Na Tijuca, inauguramos há mais de dez anos o Aquaterrário, que abriga diversas espécies, como codorna, carpa, periquito, tartaruga, entre outros. Neste espaço, promovemos diversas interações, por meio de projetos especiais realizados em parceria com a Ecobé, uma empresa especializada no ensino de ciências naturais e projetos de educação ambiental”, completa Vinícius.

Henrique Santiago, biólogo da Ecobé, destaca a importância desses projetos para o desenvolvimento da consciência ambiental dos alunos. “A partir da construção de uma relação com os animais, torna-se natural que as crianças se afeiçoem a eles e passem a se comprometer com a manutenção dos ambientes e das espécies. Procuramos criar uma cultura de respeito e preservação que acompanhará os alunos por toda a vida”, afirma.

Em fevereiro, foi inaugurado no Itanhangá o MiniZoo no Mopi, um espaço planejado nos mínimos detalhes para garantir que os animais tenham o cuidado e a atenção necessários. “Quando decidimos abrir uma nova unidade no Itanhangá, pensamos que seria a oportunidade ideal para trazer para o novo prédio o mesmo convívio com a natureza que os nossos alunos tinham na Tijuca. Buscamos traduzir nas instalações todas as nossas convicções sobre a importância de conscientizar a todos sobre o fato de fazermos parte de um ambiente, que necessita funcionar em equilíbrio, que precisa ser conhecido para ser respeitado e preservado”, acrescenta Vicente Canedo, diretor do Mopi.

Luzes especiais, pequenas cavernas, pedras e plantas são alguns dos elementos usados nos cinco viveiros para garantir o conforto e a integração de cada espécie com o seu ambiente. A atenção à segurança dos alunos também é total. A entrada para os viveiros é feita apenas pela parte traseira, longe do alcance das crianças. “O acompanhamento clínico de cada animal é constante e o manejo sanitário, diário. Sobre a alimentação, observamos as necessidades nutricionais e as particularidades de cada espécie, sempre visando à preservação da saúde e a garantia do bem-estar do animal”, esclarece Melissa Dalarme, veterinária responsável pelo acompanhamento dos animais.

“É difícil descrever em palavras, mas é fácil imaginar a mistura de curiosidade, alegria, emoção, surpresa, enfim, das emoções mais legítimas que dominam as crianças”, acrescenta Tereza Cristina de Almeida, gerente operacional do Mopi , descrevendo de forma precisa o encantamento das crianças diante dos animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *